Flavioleta

Flávia Diana é a Flavioleta, uma contadora de histórias.

Morena de sorriso largo, mudou até de cidade para seguir seu sonho.

Em entrevista para o Blog Palavra de Mãe, ela conta a própria história.

flavioleta

Meu nome é Flavioleta, tenho vinte e cinco anos, sou pedagoga, especialista em ludicidade e contadora de histórias.

Sou paranaense de uma cidade linda e mimosa chamada Toledo. Lá conheci pessoas incríveis que são minhas amigas desde a infância e adolescência, tive contato com uma família incrível e lúdica que sempre me apoiou em meus sonhos.

Porém, a necessidade de estudar e me envolver a arte falou mais alto, assim decidi residir moradia fixa em Olinda/PE há dois anos. Cidade escolhida com muito carinho, pois sempre sonhei em morar no nordeste brasileiro, que conta com uma cultura diversificada e múltipla.

O que te motivou a contar histórias?

Sempre gostei muito de histórias, minha mãe e meu avô eram contadores natos, viviam contando alguma história real ou inventada o que me fez desde criança ser uma contadora sem saber que era. Tive contato com o teatro ainda criança e sempre brinquei de ser atriz, até que um dia como num sopro de alegria conheci a contação de histórias e decidi que meu trabalho a partir daquele dia seria me aprofundar nessa arte, comecei então a participar de oficinas, projetos, círculos de leitura e rodas de contadores da tradição oral.

Foi através do sonho de me tornar uma contadora de histórias, investir na carreira artística que meu trabalho ganhou força, identidade e reconhecimento em Recife.

Como é trabalhar com crianças?

As crianças são a essência do meu trabalho, tudo que faço e crio é pensando no sorriso delas. Inicialmente, eu sentia muita falta dos meus amigos e família, mas eram elas que me davam força e amor sem nem mesmo saber para não desistir do meu sonho.

Quando eu sinto a troca de olhar que é essencial nas histórias eu acredito e firmo mais minha raiz no ‘É possível ser feliz!’.

Quais são suas histórias favoritas?

Eu gosto de histórias que toquem o coração, portanto as histórias que conto são histórias que me identifico, gosto e me encanto. Tenho muitas histórias em meu repertório, mas creio que a mais especial é Margarida de André Neves.

Onde você se apresenta e como são as contações?

Eu me apresento em livrarias, lojas, palestras e recitais… Sou encantada com poesia, música e teatro. Então, mesclo tudo numa coisa só. Utilizo alguns elementos que combinam com as histórias que vou contar, seja um personagem confeccionado normalmente por mim ou ainda instrumentos musicais.

Qual seu sonho de contadora?

Meu sonho de contadora é poder lançar um DVD daqui cinco anos, até lá vou aprendendo, estudando, conhecendo mais e mais sobre esses dois universos encantadores, as crianças e as histórias. Podendo levar alegria e felicidade para todos que participam do espetáculo.

E estou com um novo trabalho que está em fase experimental, destinado para o público adulto. Neste, o intuito é levar histórias e magia para os grandinhos. Nele conto com apoio na idealização de Carolina Barros, psicóloga e contadora de histórias. Interagindo também temos sempre um músico convidado que é escolhido de acordo com a temática da história escolhida.

 ***

Flavioleta, o meu mais sincero agradecimento por ter aceito este convite!

Que você faça muitas rodas com histórias cheias de magias.

Histórias de fadas, bruxas, monstros, princesas, piratas e sereias.

Nossas crianças merecem um mundo lúdico e lindo!

Anúncios

Um tapete que voa

 Eu tenho um Tapete que pode voar,

ele voa longe, na terra e no mar,

com esse Tapete que é voador,

eu trago histórias de todo lugar…

Contos, fábulas e lendas com participação musical.

O Tapete Voador é um grupo que conta, canta e toca.

Formado por duas atrizes e dois músicos do balaio pernambucano.

otv tapetevoa

  • Roma Júlia (arte-educadora e atriz)
  • Camila Puntel (cantora e atriz)
  • Mozart (flautista)
  • Messias (percussionista)

Mais uma vez, Recife e seus talentos!

Em 2012, eles produziram o Conte Outra Vez – Festival de Contação de Histórias, contemplando diversas manifestações artísticas.

Foi o primeiro evento desse porte voltado para a arte da narrativa oral, que se repetiu em 2013 e ocorrerá este ano em agosto, com incentivo do FUNCULTURA.

qcencanta

E tem novidade: inscrições abertas para a oficina Quem Conta Encanta.

Serão três módulos que vão desde a contação até a criação de bonecos.

Na fan page do grupo tem várias dicas de livros e a agenda das apresentações.

Site

contato@otapetevoador.com.br

(81) 3083-3680