Os últimos cinco filmes que assisti

Vou contar um pouco dos filmes que assisti nas últimas semanas. Viva o Netflix!

Já estou com saudades – delicado, sensível e leve. Um drama. Milly e Jess são grandes melhores amigas. Milly é bem casada e tem dois filhos (figurinhas). Jess tem uma vida romântica ao lado do marido e acaba adiando seu tratamento de fertilidade para acompanhar a amiga que está com câncer. Apesar de falar de uma doença tão devastadora é uma história com alegria e humor. Sim, tem seus momentos tristes mas logo vem uma lição que nos faz refletir. Amei a trilha sonora!

A escolha – como não suspirar de amor com as histórias de Nicholas Sparks. The choice tem romance, drama e comédia. Um cenário lindo e um casal apaixonante. Sim, é água com açúcar. Várias escolhas são feitas ao longo do filme mas tem uma principal (que  não vou contar, é claro). “Preste atenção porque eu vou revelar o segredo da vida. Está pronto? Tudo se resume a escolhas.”

Em busca do céu – chorei. Esse filme toca na alma e no coração. Pete, o mundo precisa de pessoas como você. Um menino de oito anos doa seu tempo para transformar a vida de seu amigo que tem câncer. O filme mostra o efeito da educação religiosa na infância. Por favor, assistam!

Joy: o nome do sucesso – mãe, solteira e empreendedora. Joy Mangano é uma jovem que desenvolve um esfregão para facilitar a vida doméstica (o famosso Mop). O roteiro é baseado na história real da empresária, interpretada por Jennifer Lawrence. Uma trajetória com muitos obstáculos faz de uma mulher batalhadora ir em busca do seu sonho (nunca desistir). “Todo mundo começa com um sonho de como a vida será.”

Perfeita é a mãe (Bad Moms) – confesso que criei uma expectativa muito grande e talvez por isso eu me decepcionei. O filme se propõe a tratar sobre questões como empoderamento feminino e materno. Mas acaba sendo mesmo uma comédia americana com seus clichês e esteriótipos. O que é aquela cena do supermercado? Não tenho humor para tanto!

Acabei de me lembrar de um filme que assisti antes de Joy. Pai em dose dupla. Ri muito. Mas como a imagem da capa do post está pronta não vou mais alterar. Também porque Já estou com saudades merece estar aqui no meu #topfive.

70 coisas sobre mim

Oi genteee!

O blog está meio paradinho. Perdão!

Tantas coisas acontecendo do lado de cá.

Para quem mandou e-mail, estou respondendo aos poucos.

O notebook vem dando seus últimos suspiros e isso também explica o meu sumiço.

Mas resolvi aparecer rapidinho com uma brincadeira que me lembra a época de escola.

Quando circulava entre #azamigas aquele caderninho cheio de perguntas e respostas chamado: questionário.

Ele se modernizou e passou a ser uma tag de Youtubers.

Cada uma responde seguindo um roteiro (que não é o caso deste post).

O interessante é que vocês vão me conhecer (e me julgar)! hahaha

70 coisas irrelevantes sobre a minha pessoa.

  1. Tenho dois nomes próprios e quatro sobrenomes. Desde que eu me entendo de gente isso sempre chamou a atenção das pessoas!
  2. Melhor prazer da vida: comer. Amo. Nível máximo. Nada me tira o apetite. Já comi horrores que fiquei com falta de ar. Tenho uma fome monstra e ataco a geladeira de madrugada. Não tenho vergonha em parecer morta de fome. kkkkk
  3. Adoro a cor da minha pele e do meu cabelo (natural).
  4. Um lugar: minha casa. Curto demais!
  5. Não sou filha única, mas fui muito mimada. Meu pai nunca levantou a mão ou a voz para mim. Pois é, fui criada sem palmada! Eu era a boneca de porcelana da família.
  6. Meu irmão foi a melhor referência que eu pude ter nesta vida.
  7. Não fiz teste vocacional. Enquanto a maioria dos meus amigos tinham dúvidas, eu já sabia o curso que queria. Acho que foi a escolha mais segura que já fiz na minha vida. Normalmente, sou bem indecisa.
  8. Escolhi jornalismo porque tenho uma história (de família) para escrever em um livro.
  9. Nunca tomei um porre (pois não aprecio bebida alcoólica).
  10. Não tomo refrigerante. Larguei (era vício) depois dos 15.
  11. Nunca experimentei cigarro (e já convivi com fumantes).
  12. Não falo palavrão.
  13. Passei uns 7/8 anos sem comer absolutamente nada com chocolate. Comecei a namorar meu marido no dia 19 de janeiro. 22, meu aniversário, a mãe dele fez uma festa surpresa para mim e o bolo era de quê? Virei chocólatra.
  14. Amo camarão. Já fiz uma promessa e passei um ano sem. Sofrimento. Depois tirei o atraso e só comia camarão no almoço (em restaurante).
  15. Ganhei o concurso de uma rádio há uns três anos. Compras, salão e jantar. Dei entrevista e ainda gravei um spot.
  16. Não nasci para ser rica. Não ligo para marca ou luxo.
  17. Já tive um FOTOLOG chamado ROSA CHOQUE.
  18. Tenho duas tattoos (mas nem me lembro delas).
  19. Usei piercing no umbigo.
  20. Adormeço em filmes (meu marido odeia mas sei que ele ama isso em mim).
  21. Casei pensando em ouvir eu te amo todos os dias e escuto mais: deixe acabar essa partida.
  22. Não desejo ter um corpo musculoso como a maioria das mulheres!
  23. Há quase dez anos não pratico atividade física. Podem sentir vergonha alheia por mim.
  24. Já fiz quatro cirurgias (contando com a cesárea).
  25. Já usei aparelho ortodôntico (por quase seis anos). Traumatizei.
  26. Nunca experimentei Herbalife.
  27. Não conheço muitos perfumes.
  28. Sou super desastrada. Ando me batendo nas portas, quinas e por aí vai.
  29. Nunca pintei as unhas dos pés (acho que nem com esmalte incolor).
  30. Enquanto a maioria das meninas fazia alguma ginástica meu esporte era xadrez. Até competi.
  31. Fiz natação para corrigir um problema na coluna.
  32. Acho que fui a última pessoa a usar Whats App por motivo de: não queria me viciar.
  33. AMO desapegar. Dar destino ao que não uso mais. Faço doação, vendo ou troco.
  34. Meu marido é meu melhor amigo, confidente e parceiro.
  35. Fome e sono me deixam irritada (com mau humor).
  36. Detesto aparecer em selfies.
  37. Eu me arrependo profundamente de não ter filmado o meu casamento.
  38. Quero fazer bichectomia.
  39. Quando gosto de uma sandália não tem 39.
  40. Uma vez, no Carnatal, eu estava no camarote (2º andar), uma criatura escalou para roubar um beijo. Era o bloco de Claudia Leitte, o trio parou e ela cantou a música do Titanic. A avenida em peso gritando beeeija. O corpo de bombeiros chegou (para tirar o rapaz) e eu não beijei. Vergonha do meu irmão que estava ao meu lado.
  41. Não dei nenhum pouquinho de trabalho na adolescência.
  42. Odeio gripar (fico acamada).
  43. Sempre sonhei em casar e ter filho(s).
  44. Já tive um teclado AND um professor.
  45. Fiz curso de modelo (passarela).
  46. Tenho uma dificuldade enorme para tomar remédio (eu me esqueço).
  47. Faço mil coisas ao mesmo tempo, mas também gosto de praticar nadismo.
  48. Não sou de repassar correntes/piadas.
  49. Troco palavras. No lugar de cadeira, digo caneta.
  50. Minha primeira paixão foi à distância. Eu tinha 17 anos e ele morava na Holanda. Era músico e sempre cantava para mim ao telefone. Nos afastamos… Um certo dia, estava em casa sozinha e ele bateu na porta. Quase morri.
  51. Sabe aqueles vídeos que todo mundo morre de rir? Eu não. Uma vez, meu marido disse que eu sou muito adulta.
  52. Já dirigi sem freio em um dia de chuva.
  53. Adoro pintar minhas unhas (não tiro cutículas).
  54. Tenho um banheiro só para mim!
  55. Sou fã do GNT.
  56. Amo fazer artesanato. Terapia.
  57. Enjoei meu marido no primeiro trimestre da gravidez.
  58. Fui a única a tirar 10 em uma prova de economia na universidade.
  59. Não sei dormir sem lençol.
  60. Tomo banho quente (até no calor do meio dia).
  61. Sou a subsíndica do condomínio.
  62. Queria ter o sotaque pernambucano!
  63. Não vivo sem fita crepe: fico grudando os cabelos soltos pela casa.
  64. Tenho saudades do Orkut. Fui tão feliz! Marcou.
  65. Passei minha adolescência assistindo: Sem Censura (Leda Nagle).
  66. Conheci meu marido no trabalho e vivemos uma linda história de amor.
  67. Amo cores. Tudo colorido. Não sigo moda. Meu estilo de vida é kitsch.
  68. Fiz um estágio na FAB que me levou a Brasília.
  69. Tenho vontade de fazer aulas de ballet (fiz na infância).
  70. Queria morar no Pinterest.

Livro para adultos com narrativas infantis

Oi, gente! Hoje vim trazer mais uma resenha de leitura.

A editora Paulinas lançou em julho o livro Era uma vez dentro de nós!

Trata-se de criatividade e a inovação e como ando por um caminho alternativo chamado empreendedorismo logo me interessei.

A autora Maria Elisa Moreira é psicóloga, mestre em criatividade e inovação.

O livro traz narrativas infantis que favorecem o autoconhecimento e o resgate do potencial criativo de cada um.

Ele é dividido em três partes: pensar, sentir e agir. Cada uma apresenta alguns aspectos teóricos que sustentam o tema da criatividade, bem como ferramentas práticas que ativam a imaginação.

São quatro contos: “O Rouxinol”, “O Pinheirinho”, “O Traje Novo do Imperador” e “O Patinho Feio”.

patinho-feio_blogpalavrademae

Um conteúdo que provoca reflexões através de exercícios que são verdadeiros ativadores criativos.


Título: Era uma vez dentro de nós – Na era da inovação desperte a criatividade da sua equipe

Autor(a): Maria Elisa Moreira

PAULINAS – LIVROS

Coleção: Psicologia aplicada

Formato: (16,0 x 23,0)

Páginas: 174

Código: 529710

ISNB: 9788535641851

Preço: R$ 42,50

O blog agora é parceiro da Paulinas Editora

O Blog Palavra de Mãe foi selecionado para ser parceiro da Paulinas.

Todos os meses vou escolher um livro para fazer a resenha dele aqui!

O meu primeiro já chegou e logo mais volto com um post sobre.

Quando criança, eu sonhava em ter uma livraria para poder ler todos os livros do mundo.

Nessa época, ainda não tinha shopping na minha cidade.

Passeava no Centro onde tinha uma livraria chamada Edições Paulinas.

Preciso dizer que foi uma grande emoção participar da seleção e ser aprovada? Coração deu mil pulinhos de alegria!

Estou muito grata e honrada pois a Paulinas está presente no Brasil desde 1931.

Ao longo desse tempo, vem sendo reconhecida em sua atuação com inúmeras premiações nacionais e no exterior.

Para quem não conhece, vale uma visita lá no site.

Como foi o 1º Encontro do BPDM

Oi, gente!

Andei meio sumidinha por aqui mas quem me acompanha pelo Insta ou Face sabe que foi por uma boa causa! Estava nos preparativos do primeiro encontro presencial do blog que aconteceu na terça 17 e foi incrível. Tanto que já quero outro! rs

Fazia tempo que eu queria desvirtualizar com um momento de trocas e acolhimento. E foi uma bete-papo super descontraído e cheio de emoções!

Vou deixar aqui um vídeo curtinho mas que valeu mais do que mil fotos!

Agradeço de coração a quem abraçou a minha ideia e sonhou comigo para que tudo isso se tornasse real.

Meus parceiros que toparam participar e atenderam todos meus pedidos!

✅Ficha técnica

🔹Brindes
@ateliemamaevovo
@garrabordados
@carolorganizer
@lojaaquarelabket
@nerialba
🔹Filmagem
@maxbrunofilmsinfantis
🔹Arte digital
Rafael Lima
rlimafreitas@yahoo.com.br
behance.net/freitasrafael

 

Primeiro Encontro do Blog Palavra de Mãe {em Natal}

Você é minha convidada a participar do nosso primeiro encontro!

Vou contar como o blog nasceu e minha experiência com a criação com apego.

Vai ter uma bate-papo com a jornalista Michelle Rincon que é #Mãede5.

A inscrição é gratuita, basta um e-mail para blogpalavrademae@gmail.com.

Eu te espero de braços abertos no dia 17 lá na Saraiva!

Resenha do livro Transcendência e Tolerância

Recebi do filósofo Alberto Gondim de Freitas seu primeiro livro Transcendência e Tolerância. Um verdadeiro presente! Logo me interessei pois acredito que a tolerância é o caminho para a transcendência. E quando comecei a leitura me surpreendi.

É inevitável não mergulhar para dentro de si. O leitor é conduzido a uma viagem para o seu eu interior. Ou seria uma escalada de montanha como a ilustração da capa. Que por sinal, é uma tela do autor.

Como mãe preciso saber lidar com determinadas situações que vão orientar um outro ser a agir de acordo com o que foi assimilado. John Locke defendia: a criança é uma tábula rasa, ou seja, uma folha em branco. Cabe a nós, educadores, transmitir para os nossos filhos valores como o respeito e a tolerância.

Um valor importantíssimo que eu tento sempre aproveitar uma oportunidade para mostrar ao meu filho é a empatia. “[…] tentar se colocar no lugar do outro para buscar assimilar algo comum que conduza o entendimento, apesar da perplexidade subjacente em nosso ser; é conveniente entendê-lo sem pretensões de subjugá-lo.”

O livro tem 100 páginas e é dividido em dez capítulos. Destinado ao público leitor em geral e pode servir também para trabalhos de pesquisa ou grupos de estudo. Em Natal, tem disponível para venda nas livrarias Paulinas e Nobel. Mas se você não mora aqui, entre em contato com o autor pelo e-mail gondimf@yahoo.com.br.

livro-tolerancia-dedicatoria_blogpalavrademae