A última sexta do ano + Bodas de lã

Sete são as notas musicais, as Maravilhas do Mundo, os dias das fases da Lua, as torres de Constantinopla, os dias da semana, os Pecados Capitais, as belas artes, os corpos do homem, os Elementos, os Elementais, os Arcanjos ante o trono do Criador, as Virtudes Humanas, os Sacramentos, os propósitos da Yoga, os Planos da Evolução, os símbolos da magia branca e os da magia negra, as folhas de Jurema, as formas dos Deuses do Olimpo, os Raios do Plano Divino, os gansos do Capitólio, as Igrejas da antiguidade, as vacas gordas e as magras, as colinas de Roma, os desertos sagrados, as letras do alfabeto grego, as Pragas do Egito, os véus de Ísis, os Planetas sagrados, os mares, as Rondas Planetárias, as Raças-Raízes, os talismãs, as cores do arco-íris, os sábios da Grécia antiga, as inteligências, os anões da Branca de Neve…

Quando você era criança deve ter pintado o sete, brincado do jogo dos sete erros e feito um bicho de sete cabeças quando descobriu que Papai Noel e coelhinho da Páscoa não existiam. Todo mundo sabe que o gato tem sete vidas e que bebê que nasce de sete meses é prematuro.

Nas aulas de História aprendemos que no século XVIII Inglaterra e França se enfretaram na Guerra dos Sete Anos e que em sete de setembro comemoramos o dia da Independência do Brasil; nas de Geografia, vimos que no Piauí está Sete Cidades de pedra e em Minas Gerais, Sete Lagoas; nas de Literatura, conhecemos o Poeta de sete faces, de Drummond; nas experiências de Física, descobrimos que sete são as cores refratadas pelo prisma; em Química, verificamos a existência de sete níveis de energia em um átomo e, por fim, decoramos nas aulas de Matemática que sete é a raiz quadrada de 49.

O número sete é cabalístico e o espírito humano sofre influências desse número, pois, possuindo grande imantação, ele rege a natureza.

Todas as grandes religiões orientais têm o sete como seu símbolo sagrado e consagrado. A Bíblia conta que o mundo foi criado em seis dias e o sétimo foi abençoado e santificado por Deus, e que sete são as igrejas, os candelabros, as estrelas, as lâmpadas, os selos, os anjos, os vasos e as chagas.

A ciência materialista considera que a cada sete anos há uma mudança no físico devido a renovação constante das células. Porém, o corpo vital permanece. Nele estão contidos os átomos de todas as fases de nossa vida.

Diante de toda a mística (para o Budismo, o sete é o número místico) e mistério (o sete é o número do mistério para a numerologia) que envolvem o sete, cabe a cada um fazer da situação, uma transformação ao seu favor. Sendo isso, uma escolha sábia (o sete para os gregos é o número da sabedoria).

Hoje, na última sexta do ano, é nosso aniversário de casamento! 7 ANOS. E, por coincidência (ou não), a Mirela postou no DMPM o desafio dos 40 dias. Eu e marido assistimos (À Prova de Fogo) há muito tempo! Mas eu nunca fiz o desafio e juntando tudo hoje (nossas bodas e a Santa Mirela) senti vontade de me desafiar.

2014-12-26-22-50-07_deco

Que meus olhos mirem para ele todos os dias, pois é ele quem eu desejo desde o primeiro olhar.

Anúncios

Um comentário em “A última sexta do ano + Bodas de lã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s