Uma lugar de amor e cuidados

Quando abri meu exame de gravidez e li POSITIVO, pensei: onde (com quem) vou deixar essa criança.

Normal (acho). Todas nós nos preocupamos com o bem estar dos nossos filhos e queremos oferecer o melhor para eles.

Certo dia, indo almoçar perto do trabalho, fiquei sabendo que do outro lado da rua abriria uma creche.

Nessa época, Théo ficava na casa da minha mãe acompanhado de uma pessoa que cuidava dele.

Quando o lugar foi inaugurado, chamei meu marido para uma visita e fomos recebidos pelos donos.

Eles nos passaram segurança e, particularmente, fiquei desejando colocar Théo lá, pertinho da gente. (Nota: eu e marido trabalhamos na mesma empresa).

Quando isso aconteceu: foi um sonho realizado. Qualquer tempo livre eu corria para ver meu pequeno.

Além da proximidade, o lugar era novo (e projetado para bebês e crianças), as pessoas (funcionários) acolhedoras e a alimentação saudável.

Fiquei durante um tempo para acompanhar a adaptação e fui percebendo o quanto era diferente de outros lugares antes vistos.

Ambientes organizados e cada criança com uma cama (nada de  colchonete no chão).

Confesso que antes, achava o valor alto. Mas logo entendi que dinheiro nenhum pagava aquele serviço.

Meu filho recebia tanto amor e cuidados que eu me sentia feliz. Era o paraíso!

Tudo era feito com capricho, cada atividade ou comemoração tinha um toque especial.

O cardápio me surpreendia sempre, principalmente pela criatividade e sabor dos preparos.

Às vezes, os pais eram convidados para experimentar os pratos oferecidos.

Exemplos: macarrão com molho de melancia; quiche de casca de abóbora e nhoque de jerimum.

Os sucos (sem açúcar): maracujá com cenoura, goiaba com acerola, abacaxi com couve manteiga.

E nunca me esqueci de um suco delicioso que tomei lá: era de macaxeira.

Como somos nordestinos, não faltava tapioca, inhame e cuscuz!

Uma vez, na aula de culinária, as crianças fizeram brigadeiro de macaxeira.

A agenda era fiel aos acontecimentos e marcava toda a rotina.

Théo ficou lá até os três anos e meio e senti muito por ter que partir para outra fase.

Anna e Léo (os donos) se tornaram nossos amigos e eu sou uma propagandista voluntária da creche deles.

Sempre que o assunto da roda é creche, eu faço questão de contar a experiência maravilhosa que vivemos lá, pois era uma extensão da nossa casa.

Quando gestei o blog, desejei abri-lo com um post especial para essa família chamada Espaço da Criança.

Mas uma coisa e outra, o tempo passando e eu devendo. Até que finalmente, hoje  realizei essa ideia.

Para quem quiser saber mais, segue uma apresentação.

Desde (agosto) 2009, recebendo bebês a partir dos quatro meses até os três anos de idade. Uma média de 10 crianças por turma (o céu) e um sistema de câmeras (os pais recebem senhas individuais para acompanhar o filho de casa ou trabalho ao vivo pela internet). São três opções de turnos (integral, semi-integral ou meio período) e três turmas (berçário, Nível I e II).

 Alimentação

A nutricionista elabora os cardápios procurando sempre uma alimentação saudável, bem variada e colorida, utilizando frutas, legumes, verduras e principalmente alimentos funcionais (alimentos que além de fornecerem energia para o corpo e uma nutrição adequada, produzem outros efeitos que proporcionam benefícios à saúde, auxiliando na redução e prevenção de diversas doenças). As receitas/preparações são feitas na própria creche com alimentos orgânicos ou menos industrializados possível.

O nosso grande diferencial é o carinho, a atenção, o máximo de aconchego que pudermos dar nessa fase tão importante e delicada para a mamãe e seu bebê.

O berçário é um espaço muito querido, exalando ternura! Ambiente favorável para o pleno desenvolvimento dos bebês. Composto por sala de estimulação, sala de banho e trocas, sala de berços climatizada e lactário.

Desenvolvemos um trabalho de estimulação da percepção sensório-motora através de atividades motoras, visuais e auditivas como músicas, histórias, jogos e dramatizações. Vivenciando as atividades com diferentes recursos, a curiosidade dos bebês é estimulada, o que favorece ainda mais o desenvolvimento do corpo, do raciocínio e da linguagem. A interação com a literatura infantil já começa nessa fase, através de livros e fantoches que são manuseados diariamente pelas crianças.

Turminha do Nível I (1 ano e 4 meses à 2 anos): o objetivo é complementar o cotidiano do berçário, são acrescidas as atividades didáticas, estimulação da linguagem oral, socialização da criança incluindo o início do processo de retirada de fraldas.

Turminha do Nível II (crianças de 02 até 03 anos): o trabalho desenvolvido com elas é voltado para a experimentação e coordenação motora. A partir dessa faixa etária já é iniciado o sistema de rodízio nas salas que chamamos de Oficinas de Trabalho onde as turmas não permanecem o tempo todo em uma só sala e sim visitando-as para a realização do trabalho pedagógico.

Refeitório, banheiro, parquinho, sala de vídeo, brinquedoteca, sala de estimulação, “Faz-de-Conta”,  são espaços destinados ao desenvolvimento da linguagem, movimento, independência e segurança dos alunos.

fachada

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s