A doula no parto

doula

Apesar da atuação da doula no parto ser muito antiga – tão antiga quanto a própria humanidade – faz poucos anos que o papel dessa mulher passou a ser definido e conhecido pela sociedade moderna.

A palavra doula deriva do grego e quer dizer “aquela que serve”. Atualmente, é utilizada para designar a mulher treinada e com experiência em nascimentos, que provê suporte físico, emocional e informacional à mulher e sua família durante o pré-parto, parto e pós parto.

Desde muito tempo que as mulheres que dão à luz são acompanhadas por outras mulheres. Além da parteira – responsável pelo nascimento – sempre estiveram presentes amigas, parentes ou comadres da parturiente, que lhe ofereciam todo o apoio necessário nessa hora importantíssima. Com a entrada do masculino e da tecnologia no cenário do parto, tanto as parteiras como as doulas tiveram sua atuação obscurecida. No entanto, atualmente essa presença feminina tem retornado com toda força não apenas nos cenários de partos domiciliares, mas também em maternidades públicas e particulares, sendo recomendadas pelos obstetras humanizados e inclusive pela Organização Mundial da Saúde.

Afinal, o que uma doula faz?

A doula é uma profissional treinada para oferecer apoio físico e emocional para a parturiente no momento do parto, através de elogios, afirmações positivas, contato físico (se a gestante desejar), massagens e outras técnicas não farmacológicas de alívio da dor, explicações do que está acontecendo, sugestões de posições mais confortáveis, orientação de exercícios com finalidades específicas, respiração, ambientação (luzes, músicas, aromas, etc), etc. Antes do parto, a doula pode preparar a gestante para o parto normal através de exercícios,  orientações, indicações de profissionais e maternidades mais adequadas às expectativas da gestante, terapias alternativas (se fizer parte de sua formação), empréstimo de livros e DVDs explicativos, etc. Existem também as doulas pós-parto, que irão auxiliar nos assuntos relativos à amamentação, maternidade e cuidados com o bebê.

É importante lembrar que a presença da doula deve ser absolutamente discreta, pois a grande protagonista desse momento deve ser a parturiente. Pode-se dizer que o maior papel da doula deve ser proteger a parturiente de todos os estímulos externos que sejam prejudiciais ao bom andamento do parto. Nesse sentido, a doula deve atuar como uma espécie de anjo da guarda protetor que irá cuidar de todos os detalhes de iluminação, temperatura, privacidade, higiene, bem-estar, etc, para que nada atrapalhe esse momento tão especial.

O que uma doula não faz?

É importante ressaltar que a doula não substitui o médico, a enfermeira-obstetra, a parteira e/ou o acompanhante. A doula vem somar com sua valiosa ajuda, e jamais subtrair qualquer outro profissional vinculado ao nascimento. Além disso, não é papel da doula realizar nenhum tipo de intervenção médica ou invasiva, nem tomar nenhum tipo de decisão pela parturiente.

Quais são os benefícios de contratar uma doula?

Segundo estudos recentes, a presença de uma doula no cenário do parto pode reduzir em até 50% o índice de cesarianas e em até 75% a aplicação de anestesia peridural. Além disso, mulheres acompanhadas por uma doula relatam maior satisfação com a experiência de dar à luz, menos dor, menos ansiedade, menos tempo de trabalho de parto, menos intervenções (como ocitocina, fórceps, etc), menor índice de depressão pós parto e um maior índice de sucesso na amamentação até 6 semanas após o parto.

Como contratar uma doula?

Atualmente, existem muitos tipos de doula, com as mais variadas formações: desde mulheres que apenas tiveram uma experiência positiva de maternidade e desejam ajudar outras mulheres, até mesmo aquelas formadas em cursos específicos e com outras formações agregadas, como psicologia, acupuntura, fisioterapia, etc. Em algumas poucas maternidades existem doulas voluntárias, mas em geral esse serviço é contratado de forma particular. Mas lembre-se: a empatia é fundamental. Na hora de escolher sua doula, o mais importante é se sentir segura e confortável com aquela pessoa que irá te acompanhar em um dos momentos mais especiais de sua vida!

Érica de Paula é psicóloga, acupunturista especializada em atender gestantes e bebês, doula e educadora perinatal.

Gentilmente, cedeu ao Blog Palavra de Mãe esse texto explicativo sobre o papel da doula no parto.

Sua paixão pela maternidade gerou um documentário no qual ela é co-autora e seu marido, diretor.

O Renascimento do Parto estreou ano passado e tem a participação especial do cientista francês Michel Odent, da antropóloga norte-americana Robbie Davis-Floyd, da parteira mexicana Naoli Vinaver.

Seu propósito é informar sobre a importância de um parto respeitoso e humanizado. (Viva para os “hormônios do amor”)

O ponto alto do filme é o depoimento do ator e diretor Márcio Garcia e da sua esposa. Andréa teve uma cesárea, um parto normal hospitalar com intervenções e um parto fisiológico domiciliar. E este mês, nasceu o quarto filho do casal, em um parto prematuro e humanizado.

Assista ao trailer do filme, que certamente é um marco na concepção de parto que permeia a cabeça de muitas mulheres.

Mais ocitocina, por favor!

Estudos afirmam que os “hormônios do amor”, liberados apenas em condições específicas do trabalho de parto, são importantes também para consolidar o vínculo entre a mãe e o bebê.

Anúncios

2 comentários em “A doula no parto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s